terça-feira, 12 de dezembro de 2006

Desculpas... de quem não quis!

Filho,

Desde já, as minhas desculpas! Sim, as minhas desculpas pelo mail que te foi enviado, a noite passada, em meu nome (e, agora reparo, ainda não chegou o recibo da tua leitura, às tantas ainda não o leste... ).

Aquilo não é texto que se apresente nem ao 'menino Jesus' (que, parece, tudo perdoa), sabes, às vezes meto-me em alhadas, acredito nas pessoas e, depois, fico desapontado com... algumas, claro! Sabes, o que se passou foi isto. Como agora parece que sou um sujeito 'importante', uma pessoa 'amiga' até me disse que pertenço ao grupo restrito dos V.I.P. (Vaidosos, Inchados e Presunçosos), e isto porquê? porque, desde há uma semana a esta parte, criei um blogue próprio, com edição limitada à minha pessoa e ao qual podem aceder milhões e milhões de pessoas (isto presumo eu, claro! daí o adjectivo de presunçoso para o 'egas' bloguista). A partir desta situação, ficou evidente (para aquela pessoa 'amiga', claro!) que eu iria necessitar de alguém para me ajudar, uma espécie de secretária, para verificar o correio recebido dos meus 'fãs', fazer a triagem desse correio (por causa do 'spam'), fazer-me chegar às mãos apenas o que fosse de interesse e escrever por mim aquilo para o qual eu lhe desse uns tópicos. E aquela pessoa 'amiga', se bem pensou, melhor o fez, arranjou-me, então, alguém para me secretariar, só que, em vez de contratar uma garota jeitosa, com as 'simpatias' bem modeladas à frente e a trás, apareceu-me aqui há dias com um 'fulano'
- ... muito competente! - disse-me a pessoa 'amiga'
que, logo às primeiras palavras,
- Você sabe escrever bem? perguntei eu
- Xei xim, vôcemecê isteja discanchado. - respondeu ele
me deixou de pé atrás, mas, enfim, dei-lhe o benefício da dúvida e contratei-o à experiência por trinta dias.

Foi assim que, depois de ontem termos falado ao telefone e ter visto o teu mail (já agora, obrigado pelos parabéns de 60+1 anos e parabéns pelos teus trabalhos), disse ao tal 'fulano' para mandar-te um mail e dei-lhe as dicas necessárias para isso. E, depois, erro dos erros, fui estúpido (estúpido até dizer: chega!) em não ler o mail antes daquele 'fulano' o ter enviado.

Apenas hoje de manhã fui ver, na pasta dos "itens enviados", o que foi escrito por aquele 'fulano'. E, oh céus!, aquilo não é texto que se apresente nem ao 'menino Jesus' (que, parece, perdoa quase tudo), o raio do 'fulano' ainda escreve pior do que fala. Então, não é que o raio do 'homem' tem lá alguns trechos de prosa que, desenquadrados do contexto, são pouco abonatários da minha pessoa, tais como: "..., cu bolo num chigaba..."; "... inda bai lendo o cu..."; e "... bou-le diser o cu...". E, para cúmulo, ainda fez insinuações a respeito da minha postura à mesa, do género: "... quinté assuprou pru cima e pru baicho,...". Francamente!...Perante tal situação de incompetência não tive outro remédio que não fosse tomar uma atitude drástica com o tal 'fulano': despedi-o e dei-lhe duas postas de bacalhau e uma penca (tendo em conta a quadra que se aproxima) a título de indemnização.

Para entenderes melhor toda esta situação, envio-te em anexo a minha 'figura' após ter lido aquele mail.

E, por tudo isto, as minhas desculpas.

E, quando tiveres tempo, vai 'navegar' pelo meu blogue, sempre que puder vou publicando algumas 'coisas' que me vierem à cabeça e, depois, ficarei à espera dos comentários, ok?

Beijinhos para a tua mulher e para ti.

Pai

3 comentários:

nana disse...

o que conta é a intenção!!!
se o filho conseguir decifrar o palavreado, não ficará triste!!I guess....

albuquerque disse...

o filho dirá provavelmente:"Não há pai para o meu pai!!"
;)

Mushu disse...

cum caraxas, pá!
hehehehe