sábado, 1 de dezembro de 2007

Curta-viagem de... pensamentos


Ena! já passa das oito meia e ainda falta tomar o pequeno almoço, carago! assim nunca mais chego à fábrica às nove, isto é uma chuchadeira crónica, até parece praga que me rogaram para não me levantar mais cedo, agora tenho de apressar-me, nem me sento à mesa, em vez das bolachas de weetabix com açúcar e mel vou tomar apenas um copo de leite meio gordo, okay agora passo a escova pelos dentes, falta pegar a carteira dos documentos e as chaves do carro de cima da mesinha de cabeceira, ainda tenho de ir ao escritório buscar a pasta, espera aí... já me despedi? nem sei bem, todas as manhãs a ‘chapa’ é sempre igual, um beijinho, até logo, telefona-me depois, ciao! ciao!... não devo bater a porta com força, além de indício de pouca educação acordaria o pessoal do prédio, se calhar para alguns até não seria má ideia, agora escadas abaixo, cuidado! os degraus estão molhados, se ponho mal o pé lá vou eu, a padeira do primeiro direito deixou o saco do pão mais uma vez no chão, mais uns degraus, ah! lá está o jornal do rés-do-chão direito em cima do tapete da entrada, já é costume, deixa lá ver se rasgo o jornal ao abrir a porta da rua...não, ainda não foi desta, qualquer dia perco a paciência e dou-lhe uma naifada, olá! porreiro, está um rico dia de sol, este jardim da frente precisa de ser tratado, paga-se um dinheirão todos os meses para o condomínio e isto está uma merda, a única coisa que funciona ainda é a limpeza das escadas, aos sábados a Luciana vem aí e limpa tudo de alto a baixo, veio há alguns anos de Angola e é deveras simpática, quando me vê pergunta-me sempre a dona Manuela está bem?... oh! carago! lá estou eu outra vez a divagar, tenho de mexer-me mais depressa...

Está uma fila de carros que nunca mais me safo, ainda nem sequer cheguei em frente ao Conde Ferreira, ah! aquele autocarro já arrancou, pode ser que o trânsito siga mais rápido, chatice! agora o sinal passou para vermelho, que faço?... aguento, que remédio!, olá! ali atrás está uma garota jeitosa, parece simpática, tem um golf vermelho com capota preta, que raio está a fazer? tem a cara apontada para o retrovisor interior, ah! já percebi, está a passar a escova do rimel pelas pestanas, com aquele vagar todo se calhar só vai ter tempo para o olho direito, raio de sinal que nunca mais muda, uh! uh! aquele tipo ali à esquerda no bmw 518tdi preto está a meter o dedo no nariz, então ó cavalheiro tenha maneiras, a limpeza dos salões é na hora do duche, às tantas o gajo nem sabe o que é isto de ter maneiras, de ter modos, ah! pois é, há gente que tem muita cagança com o carro, estás a topar? tem ar condicionado automático, tem direcção assistida e jantes de liga leve, etc, mas lá em casa se calhar anda tudo numa chafurdice... ena, finanlmente aí está o verde, eh! pá, já estão a buzinar, quem foi? às tantas foi aquela fulana do rimel, a filha da mãe levantou-se tarde e mal encarada, nem teve tempo para lavar as fuças e agora está cheia de pressa...

Quem vai para sul está tramado, aquele lado da auto-estrada no sentido da ponte da Arrábida é uma chatice, quase todos os dias vejo os carros no pára e arranca que até faz dó, mas deste lado é canja, de manhã passo nas calmas, dentro em pouco estou no túnel... ei! que é isso? esse cabrão do clio verde está a apertar-me, quer entrar nesta faixa, o gajo apareceu do lado esquerdo, de repente, sem dar sinal, guinou para o lado direito, passou por cima do traço contínuo e meteu-se à minha frente, merda! nestas alturas é que deveria aparecer um polícia de trânsito, aquele gajo de certeza que não leu o código de estrada quanto mais estudá-lo, cá para mim o tipo comprou o carro equipado de série e pensa que o pisca-pisca faz parte dos extras... ufa! deixa-me respirar fundo, foi por pouco...

A portagem já está lá ao fundo, o melhor é mudar para a esquerda, a via verde da brisa é que está na berra, passa-se a sessenta sem parar, ainda estou a pensar naquela tipa do golf vermelho, certamente foi ela que me buzinou, o estupor da gaja estava cheia de pressa, por falar nisso, sabes que há uma nova divisão do tempo? até agora o tempo dividia-se em dias, horas, minutos, segundos, micro-segundos e nano-segundos, não é? pois agora também há o pilo-segundo, então não sabes o que é? eu digo-te, é a cagasésima parte de tempo que medeia entre a mudança do semáforo de vermelho para verde e o toque de buzina do filho da puta que está atrás de nós... E com estas e com outras já estou a passar junto da saída de Baltar, como foi que cheguei até aqui? não sei, teria sido com o piloto automático? não me lembro bem, sei que já vou a cento e quarenta naquela descida que aparece logo a seguir à curva para a direita, não posso forçar mais pelo clio senão a carroçaria treme toda, não sei bem onde vou sair, talvez seja melhor a saída de Penafiel, assim evito o trânsito do centro de Paredes...agora saio da portagem, meto pelo novo desvio para Lousada e é um tiro até à entrada da recta de Sequeiros, depois é que é uma gaita, apanho o quase certo râme-râme atrás de camiões até ao centro da vila e... até que enfim! cheguei, lá está o espaço reservado para estacionar o clio... pronto! chegou ao seu termo esta curta-viagem de cinquenta quilómetros do Porto até Lousada.

Curta-viagem é o que está na berra, liga-se o piloto automático, põe-se a caixa dos miolos a desbobinar uns metros de pensamentos, as cenas vão passando... passando... até que, assim como quem não quer a coisa, chega o… Fim!

Nota: Texto escrito em Novembro/1999

12 comentários:

pin gente disse...

que odisseia mandokas!
tantas vezes passei por lousada nas minhas idas para guimarães, na linha férrea.
também faço tantos filmes na estrada... e gosto! já pensei levar um gravadorzito para gravar as conversas que tenho comigo mesma. há de tudo, com na farmácia!
gostei imenso de ler... também detesto que me buzinem. a minha tem muito pouco uso, só mesmo numa emergência ou por engano (o que acontece quando deixo cair algo ao chão e tento apanhar - fico fula comigo!)
um abraço

luísa

ainda não descobri a história do nick!

nandokas disse...

Olá Luísa,
O texto é mais uma daquelas parvoeiras que passavam pela cabeça, há uns anos [... e que ainda hoje continuam a aparecer, às tantas ainda mais aparvalhadas, devido à idade.:)
Ainda não escrevi a história do "nick", mas já fiz um registo a um comentário teu, dado que costumas designar-me por 'mandokas' - o homem das docas! [isto traduzo eu] - em vez de 'nandokas'. :)
Beijinho

Sílvia disse...

Um stress todas as manhas. Certa altura resolvi começar a usar os transportes publicos, para ver se seria diferente. Mas nao, os pensamentos, o stress, as estrategias e apitadelas continuaram ;)

nandokas disse...

Olá Sílvia,
Agora já estou numa fase da vida que não tenho de stressar todos os dias, de manhã e ao fim da tarde/início da noite [isto porque, nos últimos vinte anos de trabalho, tinha horário de entrada e não havia horário de saída...].
Hoje em dia apenas apanho a loucura do trânsio quando preciso de deslocar-me de carro para sair da cidade ou no regresso, ou, então, quando tenho mesmo necessidade imperiosa de ir de carro até a algum sítio da cidade. Caso contrário, prefiro utilizar o metro [no início, havia quem o designasse de 'centímetro' por ter só uma linha e com poucos kms].
Boa semana!

Gigi disse...

Que correria!... Até fiquei cansada!... (o que significa que conseguiste transmitir bem a azáfama de uma ida para o trabalho)
Boa semana para ti.
:-)

nandokas disse...

Olá gigi,
Agora já não ando naquela correria. Agora é mais 'tá-se' bem!... :)
Também boa semana para ti.

redonda disse...

Esta viagem foi engraçada, até parecia que ia ao teu lado :)

nandokas disse...

Olá redonda,
Mas é que ias mesmo ao meu lado. Então com quem pensas que ia a conversar?... Contigo, claro! Tu é que ainda não sabias...:)

pin gente disse...

ah! boa! eu sou uma pitosga mesmo.
está decidido, amanhã vou marcar a consulta no oftalmologista.
desculpa .... acabei de te mudar o nome em todos os comentários que fiz anteriores a este.

nandokas, sorry, sorry, sorry

vou escrever 100 vezes
nandokas
nandokas
nandokas
nandokas
...
...
mandokas

ufa ufa
esta téncica (antiga) não tem pedagogia alguma.
é mais giro escrever frases:
o nandokas é fixe.
o nandokas naõ pode ir ao jantar. oh!
o nandokas tem netos.
o nandokas tem um blog giro.
nunca mais vou errar o nome do nandokas.
se errar o nome do nandokas zango-me comigo.
e o nandokas vai continuar a rir-se de mim.
beijo, nandokas.

nandokas disse...

Olá Luísa,
Agora deixaste-me sem jeito...! Não é caso para pedires desculpa, nem para arranjares uma penitência daquelas [... apesar de teres aldrabado a escrita, ficaste muito longe das 100 vezes :)].
E achei imensa graça à parte final.
Beijinho.

PS: As minhas respostas aos teus comentários nos posts posteriores foram feitas antes de ler este. E, por isso, vais reparar que lá também volto a 'bater no ceguinho' por causa do mandokas - o homem das docas. :)

pin gente disse...

ah! por isso eu já estava a sentir tantas dores... tanta foi a tareia!
sou pitosga mas não...
eu também respondi ao outros antes de vir aqui, portanto estamos quites.

abraço
luísa

ps - vou ler bem antes de publicar pois eu sou um pouco "cada tiro cada (n)elro"

hum... parece não haver trocas nem baldrocas! (desta vez)

nandokas disse...

Olá Luísa,
Gira aquela expressão do "cada tiro cada (n)elro". Boa!
E... o revisor de provas deste estaminé manda dizer que o teu comentário não tem gr(e)lhas... [era por ali que saíam os enes e entravam os emes, estás a ver?].
Beijinho.