segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Segue o teu rumo!




Deixo-te! Sim, agora deixo-te seguir à vontade, sem amarras de qualquer natureza. E, desta vez, a minha vontade tem um registo de ruptura, em tom calmo e definitivo, sem retorno a águas passadas.

É verdade que até há pouco ainda tínhamos ao nosso dispor um rio imenso de água límpida, a transbordar de alegria inebriante e sem igual nos mares das sintonias. Mas tudo tem um fim! E, para mim, o findar da ilusão, pintada desde o início numa tonalidade de azul cor do céu, deu-se quando fizeste a tua escolha e optaste por calcorrear a tua viagem de vida numa margem que não é a minha. Algumas vezes, ainda fiz a travessia do rio para estar contigo do outro lado, mas, tendo em conta os contornos da situação, cheguei por fim à conclusão que essa não era a atitude correcta nem a alternativa certa.

Por isso, digo-te para seguires o teu rumo em direcção à tua foz, sem mágoas. E, na margem onde te encontras e onde desejas viver os teus sonhos, faz por ser feliz!

1 comentário:

pimentinha37 disse...

Gostei bastante! Beijinho. O caminho é em frente